Atrasar a Segunda Dose da Pílula do Dia Seguinte tem Problema

Como funciona a Pílula do Dia Seguinte

“A pílula do dia seguinte é perigosa”. “Você não pode tomar mais do que uma ou duas vezes durante a vida toda”. “Se você usar mais vezes você não poderá engravidar no futuro” …

Você pode ter ouvido todos estes rumores sobre a pílula do dia seguinte e, no caso de “um acidente” acontecer, você vai pensar duas vezes antes de tomá-la ou não … A verdade é que a pílula do dia seguinte já existe há mais de 40 anos, mas ainda persistem muitos equívocos e controvérsias.

Então vamos tentar separar o fato da ficção sobre a pílula do dia seguinte, a fim de ajudá-la a tomar uma decisão.

O que é a pílula do dia seguinte?

A pílula do dia seguinte é uma forma de contracepção de emergência que vai impedi-la de engravidar depois de uma relação sexual desprotegida, ou se o preservativo se romper durante a relação sexual.

Na maioria dos países, existem dois tipos de pílulas anticoncepcionais de emergência (ECP):

– contendo levonorgestrel (LNG: Norlevo, Levonelle, Plano B, em diferentes países)

-outra contendo acetato de ulipristal (EllaOne).

A pílula do dia seguinte pode ser entregue no Brasil sem receita médica na rede pública. Nas farmácias e drogarias a prescrição é obrigatória, mas na prática, náo é muita exigida. Em muitos países, como o Reino Unido, França, EUA, você pode comprá-la sem receita médica.

Como tomar ?

A pílula do dia seguinte vem em uma embalagem com dois comprimidos. O primeiro deve ser tomado até 72 horas após a relação sexual, e o segundo 12 horas depois do primeiro. Caso surjam vômitos nas primeiras horas após ter sido tomado um dos comprimidos, é importante tomar um novo comprimido já que o anterior provavelmente foi eliminado no vômito. Mesmo que o comprimido não tenha sido detectado no vômito, deve-se considerar que se perderam as substancias ativas.

Os dois comprimidos da pílula do dia seguinte também podem ser tomados juntos, sem nenhum problema e com a vantagem de não esquecer a segunda dose. No Brasil já existe pílula do dia seguinte em dose única.

Como funciona? Não causa aborto?

A pílula do dia seguinte impede a gravidez, bloqueando temporariamente que o óvulo seja liberado (ou seja, inibe a ovulação). Além disso, ela pode parar a fertilização. Estudos recentes têm mostrado que esta medicação não é eficaz quando a ovulação já ocorreu. Além disso, no caso da implantação já ter ocorrido antes de tomar, a pílula do dia seguinte não vai provocar um aborto.

Tenho que tomar a pílula imediatamente?

Na verdade, “dia seguinte” é um pouco equivocado. As pílulas contendo LNG (Norlevo, Levonelle, Plan B) pode ser tomada até 72 horas (três dias) após a relação sexual desprotegida; EllaOne pode ser tomada até cinco dias após. Mas quanto mais cedo você tomá-la, será mais eficaz.

A pílula do dia seguinte é 100 por cento eficaz, com uma a taxa de falha é muito baixa. Como dito acima, você deve tomá-la o mais rapidamente possível após o sexo desprotegido, independente da pílula que você vai usar. Se ela for tomada em até 24 horas após a relação sexual, a sua eficácia é de 95%,  se ela for tomada de 24 a 48 horas após a relação sexual, a sua eficácia é de 85%%, e se ela for tomada de 48 a 72 horas (3 dias) após a relação sexual, a sua eficácia é de 58%.

Vale lembrar que, de acordo com o FDA, o levonorgestrel é ineficaz em mulheres com mais de 75 kg. Mulheres acima deste peso devem usar outros métodos de contracepção de emergência em caso de relações sexuais desprotegidas, como um dispositivo intra-uterino (DIU) ou acetato de ulipristal, às vezes chamado de “pílula dos 5 dias”.

Pílula do Dia Seguinte  1

Pílula do Dia Seguinte 2 Pílula do Dia Seguinte 3 Pílula do Dia Seguinte 4





Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *